A presidente do Conselho Estadual de Educação (CEE) de Sergipe, Eliana Borges de Azevedo, expressou seu lamento pela morte de Luiz Alberto dos Santos, que faleceu neste sábado (12), em Aracaju. Segundo ela, é opinião unânime a de que Luiz Alberto marcou muito positivamente sua passagem pelo Conselho, não só pela sua competência, como também pela presteza que tratava seus amigos e colegas.  “É uma perda relevante, não só para os colegas e amigos como também para a cultura e a educação do Estado”, enfatizou Eliana.

 

Em dezembro de 2012, o professor Luiz Alberto foi homenageado pelo Conselho Estadual de Educação (CEE), quando recebeu o Diploma de Honra ao Mérito Educacional. A homenagem aconteceu no Palácio-Museu Olímpio Campos e foi prestigiada por autoridades, amigos e familiares do professor universitário. A diplomação foi um reconhecimento do CEE pelos serviços prestados pelo professor à cultura e à educação sergipana.

 

No Conselho Estadual de Educação, como Conselheiro e como Presidente do colegiado, em dois mandatos, deu contribuição especial à rotina da Casa, abrindo um rico debate em torno dos temas educacionais da atualidade. Sua condição de Conselheiro e de Presidente do CEE permitiu, ainda, contatos nacionais e internacionais, que renderam avanços consideráveis no setor educacional sergipano. Muitos temas, como o da educação especial, da educação à distância, da formação de professores, receberam do professor Luiz Alberto um contributo claro, lúdico, aprofundado pelas suas reflexões.

 

Segundo a assessoria da Secretaria da Cultura, Luiz Alberto, lutava contra um câncer no intestino desde fevereiro do ano passado. O Subsecretário não resistiu às complicações da doença, e faleceu num hospital particular da capital sergipana. Luiz Alberto respondia pela Subsecretária de Estado do Patrimônio Cultural.

 

Além de presidente do Conselho Estadual da Educação, Luiz Alberto dos Santos também foi  professor do departamento de Ciências Humanas da Universidade Federal de Sergipe.  De 2007 a 2009, foi secretário de Estado da Cultura, assumindo, logo após este período, a Subsecretaria de Estado do Patrimônio Cultural.

 

O velório será no cemitério Colina da Saudade, onde ocorrerá o sepultamento, neste domingo, às 14h.

 

Além do CEE

 

Assistente Social por formação, mestre pela Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro, Luiz Alberto realizou-se como professor, ligado à disciplina Antropologia, conciliando a sala de aula e a pesquisa com as posições de assessoria, direção do Centro de Educação e Ciências Humanas e a Pró Reitoria de Extensão, dentre outras funções que projetaram a sua imagem na comunidade acadêmica.

 

Ao lado da biografia de mestre, Luiz Alberto engajou-se nas lutas sindicais da UFS, dedicando grande parte de sua vida acadêmica aos movimentos internos, políticos e culturais, como também aos movimentos sociais do Estado. Intelectual e poeta, publicou Enfieira de Motivos, livro de versos.

 

De uma família oriunda do interior sergipano – Cumbe -, Luiz Alberto Santos experimentou o trabalho no comércio dos mercados, ao lado do seu pai, antes de galgar os bancos universitários. Trabalhou na extensão rural, no interior, e logo  cedo firmou sua convicção de estudar e discutir questões agrárias, étnicas e sociais, marcantes em sua biografia.

 

 

Related Articles