Dando prosseguimento à série “Grandes Personalidades da Educação”, destacamos, nesta edição, o nome de Darcy Ribeiro. O antropólogo mineiro é indubitavelmente uma das grandes personalidades do campo da educação. Entre suas atuações mais significativas na área destacamos a sua passagem como ministro da Educação durante Regime Parlamentarista do Governo do presidente João Goulart.

 

Darcy sempre defendeu veementemente suas convicções. Durante a ditadura militar brasileira, como muitos outros intelectuais brasileiros, teve seus direitos políticos cassados e foi obrigado a se exilar, vivendo durante alguns anos no Uruguai.

 

Vamos saber mais sobre Darcy Ribeiro, seu pensamento e seu legado.

 

———-

 

Matérias correlatas, publicadas no site do CEE/SE:

 

Grandes Personalidades da Educação: o sergipano Manoel Bomfim

Grandes Personalidades da Educação – Paulo Freire

Grandes Personalidades da Educação – Anísio Teixeira

Thetis Nunes e a presença das mulheres na Educação

 

———

 

Sobre Darcy Ribeiro

 

Muito próximo de Anísio Teixeira, Darcy Ribeiro foi influenciado pelas ideias do Movimento Escolanovista, (1922-1997), sendo um dos principais antropólogos e pensadores da educação no país. Além de seu envolvimento com a questão indianista, atuou fortemente pela defesa da escola pública e dedicou muita atenção ao desenvolvimento integral dos estudantes.

 

Foi Ministro da Educação, e depois Chefe da Casa Civil no governo João Goulart, deposto pelo golpe civil-militar em 1964. Durante o período ditatorial, teve seus direitos cassados e foi forçado a se exilar, época em que contribuiu com reformas e discussões educacionais em diferentes países. De volta ao Brasil, Darcy implementou junto ao Governo Leonel Brizola no estado do Rio de Janeiro, os Centros Integrados de Ensino Público (CIEPs), uma das principais políticas de educação integral no país, e que trouxe à tona a necessidade de integrar a assistência social às ações educacionais.

 

Autor de inúmeros livros e membro da Academia Brasileira de Letras, Darcy também foi o primeiro  reitor da Universidade de Brasília (UNB), e criador da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), que tinha como projeto formações interdisciplinares, em proposta considerada bastante avançada para o cenário do ensino superior no país.

 

Biografia e Carreira

 

Darcy Ribeiro nasceu em Montes Claros, Minas Gerais, em 26 de outubro de 1922. Filho de Reginaldo Ribeiro dos Santos e de Josefina Augusta da Silveira. Em Montes Claros fez os estudos fundamentais e secundário, no Grupo Escolar Gonçalves Chaves e no Ginásio Episcopal de Montes Claros.

Foi para Belo Horizonte estudar Medicina, porém ao cursar disciplinas de Ciências Sociais, decidiu-se por esta área. Em 1946, formou-se em antropologia pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo e dedicou seus primeiros anos de vida profissional ao estudo dos índios do Pantanal, do Brasil Central e da Amazônia (1946-1956).

 

Notabilizou-se, fundamentalmente, por trabalhos desenvolvidos nas áreas de educação, sociologia e antropologia, tendo sido, ao lado do amigo a quem admirava Anísio Teixeira, um dos responsáveis pela criação da Universidade de Brasília, elaborada no início da década de 1960, ficando também na história desta instituição por ter sido seu primeiro reitor. Redigiu o projeto, como funcionário do Serviço de Proteção ao Índio, do Parque Indígena do Xingu, criado em 1961. Também foi o idealizador da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF). Publicou vários livros, vários deles sobre os povos indígenas.

 

Darcy Ribeiro foi ministro da Educação durante Regime Parlamentarista do Governo do presidente João Goulart (18 de setembro de 1962 a 24 de janeiro de 1963) e chefe da Casa Civil entre 18 de junho de 1963 e 31 de março de 1964. Durante a ditadura militar brasileira, como muitos outros intelectuais brasileiros, teve seus direitos políticos cassados e foi obrigado a se exilar, vivendo durante alguns anos no Uruguai.

 

Durante o primeiro governo de Leonel Brizola no Rio de Janeiro (1983-1987), Darcy Ribeiro, como vice-governador, criou, planejou e dirigiu a implantação dos Centros Integrados de Ensino Público (CIEP), um projeto pedagógico visionário e revolucionário no Brasil de assistência em tempo integral a crianças, incluindo atividades recreativas e culturais para além do ensino formal – dando concretude aos projetos idealizados décadas antes por Anísio.

Nas eleições de 1986, Darcy foi candidato ao governo fluminense pelo PDT concorrendo com Fernando Gabeira (então filiado ao PT), Agnaldo Timóteo (PDS) e Moreira Franco (PMDB), mas foi derrotado nas urnas, com a eleição de Moreira.

 

Foi responsável pela criação e pelo projeto cultural do Memorial da América Latina, centro cultural, político e de lazer, inaugurado em 18 de março de 1989, no bairro da Barra Funda, em São Paulo, assim como foi responsável pelo projeto de lei que deu origem a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (LDB), lei 9394/96 aprovado pelo senado brasileiro.

 

Exerceu o mandato de senador pelo Rio de Janeiro de 1991 até sua morte em 1997 – anunciada por um lento processo canceroso que comoveu o Brasil. Darcy, sempre polêmico e ardoroso defensor de suas ideias, teve, em sua longa agonia, o reconhecimento e admiração até dos adversários. Publica O Povo Brasileiro em 1995, obra em que aborda a formação histórica, étnica e cultural do povo brasileiro, com impressões baseadas nas experiências de sua vida.

 

Obras

 

Darcy Ribeiro teve suas obras traduzidas para diversos idiomas (inglês, o alemão, o espanhol, o francês, o italiano, o hebraico, o húngaro e o checo), figurando entre os mais notórios intelectuais brasileiros.

 

No campo da Educação, podemos destacar:  Plano orientador da Universidade de Brasília – 1962, A universidade necessária – 1969, Propuestas – acerca da la renovación – 1970, Université des Sciences Humaines d´Alger – 1972, La universidad peruana – 1974, UnB – invenção e descaminho – 1978, Nossa escola é uma calamidade – 1984, Universidade do terceiro milênio – plano orientador da Universidade Estadual do Norte Fluminense – 1993. 

 

 

Related Articles