Nesta terça-feira (11), seguindo até esta quarta-feira (12), começa a edição 2018 do Exame Nacional do Ensino Médio para pessoas privadas de liberdade (Enem PPL). O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) contabiliza 41.044 candidatos inscritos no exame, entre presos em unidades prisionais ou jovens sob medida socioeducativa atualmente privados de liberdade.

 

Além das pessoas privadas de liberdade, têm direito à reaplicação, de um ou dois dias de provas, candidatos da edição regular do Enem 2018, aplicada em novembro, que não tiveram condições de fazer o exame regularmente devido a problemas de logística, a citar falta de energia, como exemplo. Segundo o Inep, 2.725 candidatos estão nessa situação.

 

O Inep divulgou que o Enem PPL será aplicado em 1.436 municípios, sendo somados ainda mais 16 municípios onde, durante o Enem regular, ocorreram “problemas logísticos no local de provas durante a aplicação do exame”. Segundo o Instituto, o Enem usa a metodologia da Teoria de Resposta ao Item (TRI), as provas têm níveis de dificuldade semelhantes e permitem a comparação de notas de candidatos que fizeram edições diferentes.

Related Articles