O Conselho Estadual de Educação de Sergipe (CEE/SE) externa imenso pesar pelo falecimento de Almiro Oliva Alves, acontecido na noite desta quarta-feira (3). O professor Almiro ocupou uma das cadeiras da Casa, quando foi conselheiro no período de 2008 a 2016.

 

O professor Almiro era natural de Riachão do Dantas, tendo sido padre no município sergipano de Carira, na década de 60. Após deixar a batina, ingressou na rede estadual de ensino como professor de Filosofia. Era também poeta e poliglota.

 

Um pouco mais sobre o professor Almiro

 

Ainda adolescente, foi estudar no seminário em São Leopoldo, Rio Grande do Sul, onde pretendia ser frade, tendo recebido o nome de Frei Justo. Em seguida mudou de seminário e ordenou-se padre na Catedral de Aracaju. Chegou a ser reitor do Seminário Diocesano. Também foi pároco da Igreja São José.

 

O professor Almiro Oliva era poliglota (francês, latim, grego, hebraico, alemão, inglês). Durante anos foi professor da Faculdade Pio X, lecionando, dentre outras matérias, Filosofia. Além de prestar um grande serviço à Educação sergipna e ser membro do CEE/SE, ocupou diversos cargos públicos.

 

Almiro tinha 94 anos e estava internado num hospital de Aracaju. Era poeta, compositor e, segundo familiares e amigos, um entusiasta da vida. Era casado com Celma Oliva. O educador deixa as filhas Celmira e Mariana, além de uma neta. O corpo do professor será sepultado em Riachão do Dantas.

 

Related Articles